quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Sinfonia de Veneza




Pediste-me um baile de máscaras, levo-te a Veneza...


Primeiro irei contigo, passearei contigo com o mundo inteiro a olhar-nos de longe como se a perfeição de um sentimento assusta-se os demais, bailaremos sobre os canais de veneza e saltaremos as rédeas do sonhos para que tudo se torne demasiado real aos nossos olhos, hoje, quem n ão acredita em nós? Somos o casal perfeito. Ao passarmos sobre a ponte Rialto deixamos que o nosso amor se una numa sinfonia que invade todos os bailes de máscaras, porque a beleza de um baile de máscaras não está na máscara que usas mas sim no coração que tens.
Seremos o melhor casal deste baile inteiro em nem com a rosa negra entre mãos soltaremos o vermelho que se esconde dentro de nós.
Acompanhas-me?

5 comentários:

Alexandre disse...

Que importam as verdadeiras máscaras se temos que lutar sempre contra as máscaras que estão por trás das máscaras! Essas, sim, máscaras em perfeita sintonia com as dúvidas existenciais desta passagem sem sentido...

Beijinhos!!!

Walter disse...

Achei simplesmente lindo este texto...a dualidade do vermelho e do preto, duas das minhas cores preferidas!
bj
walter

Fallen Angel disse...

Não te acompanho.. coloco uma mão nas tuas costas, outra nas tuas coxas e carrego-te. Ao colo.

P-S disse...

Será que nao abusamos das mascaras neste baile que nao termina nunca?

Lindo este teu texto!

Bj

Felipe Nunes disse...

Haverá fim neste baile de máscaras que vivemos todos os dias? Um baile que dançamos muitas vezes, a maioria delas, sozinhos!


Beijo, em ti,
f n