segunda-feira, 10 de março de 2008

Não sei ser poeta

Quando escrevo poesia não me dou,
Faltam-me as palavras interdictas,
Faltam-me as rimas esquesitas,
Falta tudo, falta tudo o que sou,

Não sei ser poeta, não sei...
nem agora nem nunca hei-de saber,
tenho o que digo e o que fica por dizer,
tenho o que dou e o que já dei.

Não sei como se faz para ser poeta
nem tão pouco sei o que falta ou resta
para ter esse dom dentro de mim.

Mas sei que só ser eu assim me basta,
é a escrita, é a escrita que me arrasta
para longe deste antecipado fim.

2 comentários:

Felipe Nunes disse...

Se amarmos não precisamos de ser poetas..

Nem sequer precisamos de gastar palavras se formos amados... Ai, o nosso respirar diz tudo por nós..


Eu, tenho que escrever!

Anônimo disse...

Entrei em seu blog como prometi e tive o prazer de ver e ler coisas lindas e belas, meus parabens amiga Mrgarete.

A cor do fundo do seu bolg acho que devia mudar para realçar mais a escrita.

Adorei

Antonio Cambeta