sábado, 16 de junho de 2007

Onde estás?


Onde estás oh sono que me não vens buscar, envolver-me nos teus braços, pegar ao colo os meus cansaços e embalar-me.
Preciso de dormir, preciso de gritar antes de dormir, gritar este querer, este poder que vem da alma e se sucumbe em palavras que o coração pleno grita no silêncio de mais uma noite. O céu está escuro, o manto negro da noite envolveu tudo em meu redor, só eu continuo aqui sentada, eu e a minha alma, triste devaneios loucos escritos em relance na pressa de um fervilhar de dedos.

Ondes estás oh sono? Anda buscar-me! Já me cansei de ilusões e de multidões, sabes o que quero, sabes quem eu quero, leva-me para que possa sonhar, querer é poder e sonhar é mais que poder, é realizar... ser feliz vivendo como se fosse real o que na realidade nem eu estou certa existir.
Mas é bom adormecer tranquila com esta sensação gostosa a encher-me o peito de ar, com esta serenidade que me permite respirar calmamente... sentimento profundo, verdadeiro!

Um bem-querer, um mal poder, mas um sonho será sempre uma felicidade...

Um comentário:

João Vasco disse...

O sono como caminho para o sonho, esse instrumento de felicidade. Como se pode ser feliz sonhando ainda que tudo possa ser uma mera ilusão
Beijos