quinta-feira, 9 de agosto de 2007

Adeus Molhado


Apetece-me dizer-te já adeus, assim quando te fores já me não restarão mais palavras interdictas, apetece-me dizer-te que não me apetece simplesmente ver-te e o facto de hoje te teres distanciado provocou em mim uma ligeira, repentina mas perfeita sensação de desconforto.
Tenho pena que as coisas tenham de ser assim, julguei-te capaz de preencher por inteiro os vazios que existem em mim , sinto que não o foste e como eu gostaria de mudar o que sinto mas infelizmente (felizmente, talvez) é a minha única verdade.
Um Adeus Molhado, muitas lágrimas que não foram choradas ainda me molham o coração e me lavam a alma, já deveria ter aprendido a não dar tanta importância a pequenas coisas, como o dia de hoje, mas faz parte de mim ser assim, importa-me o essencial às vezes tão escondido nos gestos, nos carinhos, nos silêncios... nas palavras, quem sabe o essencial não esteja escondido nestas que te escrevo agora.
Apetece-me dizer-te já adeus... digo-te adeus na partida, digo-te adeus na chegada...


Adeus

Um comentário:

Lu@r disse...

Um Adeus Eterno...