sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Na árvore da minha vida


Trepei pelo tronco da árvore da vida, cada vez mais alto, para os loucos nem o céu é o limite. Ultrapassei as histórias disformes e traiçoeiras do passado, sacudi o pó da verdade que já me fazia alergia na pele. Parei para descansar um só momento... sentei-me num ramo, balancei-o enquanto observava a selva que me envolvia... segui, às costas trazia o que sou, as mãos suadas pelo calor da alma, os pés feridos, os olhos enlagrimados.
Os pássaros esvoaçavam em meu redor, penas de todas as cores, lindos como só eu sei, atrás de si deixavam um pózinho aveludado, tranquilizante.
O meu cabelo esvoaçava com a brisa...
Subi, subi, subi, tinha fome, tinha medo, tinha tudo e não tinha nada, só esta constante e verdadeira subida aos cumes da minha alma, na árvore da minha vida!

3 comentários:

vk disse...

E quanto mais alto subias mais puro era o ar que respiravas até que não mais sofrias das mesmas moléstias dos teus antigos pares que permaneceram.

E quanto mais alto subias mais pequena te enxergavam os espectadores do solo - ao que tua grandeza tornou-se medida direta da inveja e do desprezo que recebes.

Alexandre disse...

Espero que continues a subir, a subir, sempre a subir a árvore da tua vida, olhando para trás apenas nos momentos em que precises de descansar e orientar...

Muitos beijinhos!!!

Anônimo disse...

adorei suas fotos!!! lindas!!!