domingo, 29 de julho de 2007

Segredo (revelado entre lágrimas)


Segredos Revelados em Palavras Pronunciadas e Silêncios Calados...


Poderei eu apaixonar-me pela tua voz? Construir castelos de carinhos com a melodia da tua voz e ser capaz de desbravar os montes da distância só para te tocar, um toque final no início de tudo, serei eu capaz?
Depois páro só para ouvir o teu coração bater, como se gosta assim? Um coração acelerado à distância vale mais do que tudo quando se gosta assim. Como se gosta assim?
Estou inquieta, quero saber se o amor na voz não se confunde, se é apenas como a aragem leve que passa por nós e nos despenteia ou se fica no coração e na alma para sempre. Estou a estranhar gostar-te tanto assim por entre lágrimas e dançar contigo no limiar. Basta um salto, uma pirueta , um passo, simples e humilde, mas quando ultrapassarmos o limiar quero que me leves ao colo pelo teu próprio pé.
O resto? Deixa correr o tempo como correm as minhas lágrimas para ti e no despontar de meia dúzia de sorrisos verdadeiros deixa que esta estranha loucura fique. Não fujas...

2 comentários:

João Vasco disse...

Quando se está a degustar placidamente fugir nem sequer é hipótese...
Beijo enorme

Paulo Afonso disse...

Estou aqui...
Seduzido pela magia das palavras, cheias de esperança e desejo...


Beijo