terça-feira, 31 de julho de 2007

Não sei ser poeta

Quando escrevo poesia não me dou,
Faltam-me as palavras interdictas,
Faltam-me as rimas esquesitas,
Falta tudo, falta tudo o que sou,

Não sei ser poeta, não sei...
nem agora nem nunca hei-de saber,
tenho o que digo e o que fica por dizer,
tenho o que dou e o que já dei.

Não sei como se faz para ser poeta
nem tão pouco sei o que falta ou resta
para ter esse dom dentro de mim.

Mas sei que só ser eu assim me basta,
é a escrita, é a escrita que me arrasta
para longe deste antecipado fim.




(tentativa de soneto ... por entre lágrimas)

2 comentários:

ci disse...

Sabes sim....:)

beijos incomuns da ci

Rafeiro Perfumado disse...

Vá, não sejas assim tão dura para contigo, aposto que sabes, por exemplo, dançar... ;)