domingo, 29 de julho de 2007

Sombras


Entre as sombras na rua o teu rosto passeia nesse teu corpo,
sombras sobre sombras,
letras não escritas
para que o pecado seja maior são palavras interdictas.

Sob o olhar da lua caminha o meu desejo de ver-te,
sombras sobre sombras,
um rosto escondido
no meio do escuro o meu corpo despido, esquecido.

A um passo das mãos que não demos na rua que nunca percorri,
sombras sobre sombras,
letras, palavras e um rosto,
um rosto que nunca vi mas que já gosto.

Um comentário:

Fly disse...

Estou aqui. Aceito um chá, porque o meu estômago declarou-me guerra.

Não sei o que se passa Contigo, e que sou apenas uma estranha, uma sombra, mas estou e sou.
Conta comigo.
E por favor, sorri!!!!

:-)